terça-feira, 1 de março de 2011

AMOALUZ participa do debate com Defensoria Pública na 3° Jornada pela Moradia Digna

A PUC do Ipiranga ficou pequena, todas as salas de seminários e debates estavam lotadas
Ilustração da matéria sobre desapropriações apurada pela jornalista Patrícia Benvenuti para o jornal Brasil de Fato

Caro leitor,

Nós da AMOALUZ - Associação dos moradores e amigos da Santa Ifigênia e da Luz - participamos da 3° Jornada pela Moradia Digna, que aconteceu nesse domingo, na PUC do Ipiranga.
O espaço foi insuficiente para acomodar 1,5 mil participantes que passaram nas salas de debates, seminários sobre o impacto da moradia diante dos megaprojetos em São Paulo.

A organização foi excelente, tudo correu muito bem. E ficou o gostinho de quero mais.
É muito motivador participar de um evento de tamanha relevância, onde pôde mobilizar profissionais e pensadores de relevo para esclarecer a população atingida e interessados. Um super evento quanto a qualidade e quantidade atingida vindo da iniciativa das organizações sociais.

A AMOALUZ teve a ótima oportunidade em dialogar com a Defensoria Pública do Estado de São Paulo. A sala também estava lotada, houve muitos interessados para discutir o projeto Nova Luz. Pudemos tirar dúvidas, esclarece muitos pontos e, assim, enriquecer nosso trabalho.

Mais um passo foi dado dentro da nossa proposta de ação, agora como associação de moradia organizada, também temos apoio jurídico para enfrentar esse projeto avassalador que não contempla a população.

Mais uma vez a imprensa deu cobertura em divulgar nossa causa e a nossa luta. Registrou nossa presença, nos dando a oportunidade de ter voz e vez. 

Segue trecho da entrevista publicada no jornal Brasil de Fato, onde pudemos trazer as questões que atingem diretamente os moradores da Santa Ifigênia e da Luz e os impactos causados pelo projeto Nova Luz:

"Insegurança
Durante a Jornada, foram recorrentes as reclamações a respeito da falta de clareza sobre as obras. Um exemplo é o Projeto Nova Luz, que propõe a "revitalização" do centro da cidade. A presidente da Associação de Moradores e Amigos da Santa Ifigênia e da Luz (Amoaluz), Paula Ribas, explica que os moradores estão preocupados porque o projeto não dá garantias sobre a permanência das famílias na área.
"Só há pinceladas e comentários muito abstratos e gerais sobre quem continuará na região, mas não há a garantia. Nós estamos pedindo um cadastramento desde o ano passado, em setembro, e até agora não tivemos nenhuma resposta", conta.
Paula argumenta que os moradores são favoráveis às melhorias no centro, mas estão insatisfeitos com o atual plano apresentado pela Prefeitura. O projeto, segundo ela, baseado em experiências europeias, não leva em conta a diversidade do bairro e seus problemas específicos, como o alto número de pessoas em situação de rua e dependentes químicos. O principal problema, aponta, é a ausência de diálogo para ouvir as sugestões de quem vive ou trabalha na área.
"Sabe qual é o tempo de cada morador pra debater um projeto na audiência pública? Três minutos de fala. Como a gente vai ter um diálogo democrático, com participação, onde o morador tem três minutos pra falar?  Eles [Prefeitura] estão impondo uma qualidade de vida para nós, e a gente quer participar disso", defende".

Para ler a entrevista na íntegra click aqui

Essa luta, caro leitor, é por um centro mais justo e por uma reaqulificação transparente.
Nos apoie, dê suacontribuição.
Escreva comentários, inclua a nossa cidade na sua luta também.
Grata por nos acompanhar.

Beijos
Paula Ribas

2 comentários:

Sylvia Facciolla disse...

Oi Paula!

Acompanho o seu blog, como leitora e amiga!

Como parte duplamente interessada na viabilidade do projeto Nova Luz, por ser uma apaixonada pelo centro e também coordenadora de comunicação do projeto junto a Prefeitura, reforço o convite aos moradores que venham ao Espaço Projeto Nova Luz, local de diálogo com a população, localizado na Rua General Couto de Magalhães, 381 - Luz, bem pertinho da estação.

Este local é aberto para os interessados se informarem sobre o projeto preliminar disponível, tirarem suas dúvidas, trocarem com a equipe de profissionais suas opiniões, preocupações e sugestões!

Gostaria de salientar que este é um importante momento para todos que se debruçam sobre o desafio de interpretar a região, seus personagens, suas necessidades, seus sonhos.

Com relação ao solicitado cadastro, bem observado, cuja solicitação da Associação de Moradores foi formalizada junto à SMDU em Janeiro de 2011, informo que ele é objeto de preocupação de todos e seguramente a comunidade receberá uma resposta concreta sobre o tema, por parte da Prefeitura!

Para finalizar, queria apenas reiterar o convite e a disposição de dialogarmos presencialmente, de forma aberta, de maneira a progredirmos, sempre positivamente.

Um beijo,

Sylvia

Táygara disse...

Olá Paula e moradores da Nova Luz,

Como uma das entidades organizadoras da 3ª Jornada, gostaria de agradecer a presença de vocês no evento e parabenizar você, Paula, pela criação deste blog, que pode dar publicidade a tudo o que está ocorrendo na Nova Luz.
Espero que os moradores, mais do que nunca, fiquem unidos nessa luta comum, que é a luta pela moradia. Nós podemos fazer eventos, audiências ou o que quer que seja, mas a verdade é que só a união de vocês é verdadeiramente capaz de mudar essa realidade.

Força e honra,
Táygara
Núcleo de Direito à Cidade do Departamento Jurídico XI de Agosto

Postar um comentário

O blog Apropriação da Luz é a oportunidade de você ver e saber como os moradores e comerciantes da região da Santa Ifigênia e Luz pensam sobre o projeto Nova Luz. Veja conteúdo produzido por moradores da região e saiba o ponto de vista de quem passa pelos impactos sociais do projeto. Pois, ver por dentro é ver de perto. Grata por seu interesse!

 
Design by Free Wordpress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Templates